Fevereiro Laranja – Médicos alertam sobre a Leucemia


Fundo de olho
Fundo de olho | Foto: Divulgação

Exame de fundo do olho também pode detectar a doença

A campanha Fevereiro Laranja alerta para o combate à leucemia, tipo de câncer que afeta os glóbulos brancos do sangue, conhecidos como leucócitos. A doença, geralmente de origem desconhecida, começa quando algumas dessas células sofrem mutações e começam a se reproduzir de maneira descontrolada, substituindo as células sanguíneas normais.

A detecção pode ser feita por meio de exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos e também pelo exame do fundo de olho. “Muito além de investigar doenças que comprometem a visão, o exame oftalmológico de rotina revela mais do que as pessoas imaginam.

Por meio da saúde ocular é possível avaliar as artérias, veias, nervos e identificar diversas doenças sistêmicas, como diabetes, hipertensão arterial, anemia e outros tipos de patologias, como câncer e leucemia. Não é um exame de alta complexidade, mas é muito útil.

Diante da suspeita de leucemia, por exemplo, o paciente deverá ser encaminhado para avaliação médica específica”, explica o Dr. Victor Saques, médico do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), empresa do Grupo Opty.

O oftalmologista alerta que o exame de fundo do olho pode ser realizado regularmente em todas as idades, inclusive nos recém-nascidos. O procedimento é feito de duas formas: sem dilatação pupilar, na qual apenas a parte central da retina é visualizada; ou com dilatação, de forma que é possível observar até as áreas periféricas da retina. “É recomendável que esse exame seja feito anualmente.

Porém, pessoas que possuem alto grau de miopia, diabetes, hipertensão arterial, história familiar de doenças oftalmológicas, como o glaucoma – que usam medicações que podem afetar os olhos, como hidroxicloroquina –, precisam visitar o oftalmologista com maior periodicidade, já que quanto mais cedo uma patologia for diagnosticada, mais eficaz será o tratamento e a possibilidade de reversão da doença”, orienta o Dr. Saques.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que em 2018 a leucemia teve cerca de 10.800 novos casos. Os sintomas incluem anemia, palidez, sonolência, fadiga, palpitação, manchas roxas na pele ou pontos vermelhos, bem como gânglios linfáticos inchados, perda de peso, febre e dores nas articulações e ossos.

Sobre o Opty

O Grupo Opty nasceu em abril de 2016 a partir da união de médicos oftalmologistas e do fundo de investimento Pátria, dando origem a um negócio pioneiro no setor oftalmológico do Brasil.

O grupo aplica um novo modelo de gestão associativa que permite ampliar o poder de negociação, o ganho em escala e o acesso às tecnologias de alto custo, preservando a aplicação da oftalmologia humanizada e oferecendo tratamentos e serviços de última geração em diferentes regiões do País. No formato, o médico mantém sua participação nas decisões estratégicas, mantendo o foco no exercício da medicina.

Atualmente, o Grupo Opty é o maior grupo de oftalmologia da América Latina, agregando oito empresas oftalmológicas, 1400 colaboradores e 400 médicos oftalmologistas.

O Instituto de Olhos Freitas (BA), o DayHORC (BA), o Instituto de Olhos Villas (BA), o Hospital Oftalmológico de Brasília, o Grupo INOB (DF), o Hospital de Olhos Santa Luzia (AL), o Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem (SC) e o HCLOE (SP) fazem parte dos associados, resultando em 19 unidades de atendimento.

Anterior Rio continua em estágio de crise depois das chuvas
Próximo Metrô-DF executa manutenção nas vias para garantir segurança